Utilizamos cookies!

Olá! Nós utilizamos cookies para melhorar a experiência dos nossos usuários e usuárias ao navegar por nossos sites. Ao continuar utilizando nossos serviços online, entenderemos que você estará contente em nos ajudar a construir uma sociedade mais inclusiva e aceitará nossos cookies.

Para conferir como cuidamos de seus dados e sua privacidade, acesse nossa Política de Privacidade.

14 de maio de 2021

Cozinha às Cegas: o primeiro guia culinário sensorial para pessoas com deficiência visual

Descrição da imagem: foto de duas mãos tocando um livro aberto. O livro tem páginas amarelas e texto na cor preta com letras grandes. Em tamanho maior há o título "Massas: longas, curtas, recheadas". Na página à direita há também diferentes formatos de massas em relevo.

Promover a autonomia e a inclusão de pessoas cegas ou com baixa visão é o motivo principal pelo qual a Fundação Dorina trabalha todos os dias, há 75 anos. Quando unimos criatividade e inclusão alcançamos ainda mais pessoas para transformar a sociedade em um lugar mais justo e acolhedor.

Pensando nisso, a Maggi, que acredita que a cozinha é um espaço democrático, lança o primeiro guia de cozinha sensorial com 130 páginas para pessoas com deficiência visual: Cozinha às Cegas. O livro trata de um assunto universal, que é a alimentação, já nasceu inclusivo e contou com a participação direta de pessoas com deficiência visual.

Clique na imagem abaixo para assistir ao filme do projeto ou AQUI para assistir com audiodescrição:

O guia permite que pessoas cegas ou com baixa visão possam acessar receitas e vivenciar a gastronomia de outra forma, com autonomia e prazer. O Cozinha às Cegas será um instrumento para o programa de reabilitação, para dar suporte às oficinas individuais desenvolvidas por terapeutas ocupacionais disponibilizados pela Fundação Dorina, respeitando os protocolos de segurança atuais.

Para garantir uma experiência completa, o guia estimula todos os cinco sentidos: Tato, com ilustrações em relevo dos pratos e impressão em braile; Olfato, já que será possível sentir os aromas das especiarias mencionadas nas receitas; Visão, já que a publicação traz um design que possibilita que pessoas com baixa visão possam ler o conteúdo; Audição, tanto com botões que emitem sons dos instrumentos a serem utilizados no preparo quanto com a versão em audiobook; E o paladar, que fica por conta das receitas ensinadas pelo guia. Além disso, depois de identificar como alguns utensílios importantes na cozinha não funcionam como deveriam para pessoas com deficiência visual, os criadores desenvolveram alguns itens especiais que estão acoplados no final do guia, como copos medidores, uma balança, um termômetro e um timer sonoros.

            Para mais informações sobre esse projeto, acesse o site oficial https://www.cozinhaascegas.com.br.