Paralimpíadas 2020: conheça o Atletismo

Vamos falar sobre o Atletismo!

O Atletismo nos Jogos Paralímpicos é um esporte que tem atletas com deficiência visual ou física.  

As provas disputadas são: 

  • Saltos 
  • Lançamentos 
  • Arremessos  
  • Corridas 

Em todos os gêneros. Cada atleta é alocado em um grupo de acordo com seu grau de deficiência constatado em classificação funcional.

Nas corridas dos atletas com deficiência visual com grau mais avançado podem ter um acompanhante como guia e podem ser ligados por uma corda  

Os atletas com deficiência física, dependendo da classificação, usam cadeiras de rodas ou próteses para correr.  

Nos Jogos Paralímpicos, o atletismo faz parte desde a primeira edição em Roma 1960. Entretanto, o Brasil conquistou suas primeiras medalhas em 1984 com 16 de ouros, 12 de prata e 3 de bronze.  

Desde então o Brasil tem conseguido protagonismo nesta modalidade. Em Atenas 2004, por exemplo, foram 16 medalhas, em Pequim 2008 foram 15 medalhas e em Londres, foram 18 medalhas sendo 7 de ouro. O Destaque ficou com Terezinha Guilhermina que levou duas medalhas de ouro nos 100 e nos 200 metros rasos de T11.

Ela já havia conquistado outras quatro medalhas paralímpicas em jogos anteriores. Os maiores vencedores são os norte-americanos (emoji eua) com 350 ouros, 351 pratas e 329 bronzes.  

O Brasil aparece em 28º com mais conquistas com 25 ouros, 39 pratas, e 28 bronzes 

Como funciona a modalidade?

Os competidores são divididos em classes esportivas de acordo com a funcionalidade na prática esportiva para atletas com deficiência física e acuidade visual para atletas com deficiência visual.  

Os que disputam provas de pista (velocidade, meio fundo, fundo e saltos) e de rua (maratona), levam a letra T (de track) em sua classe. 

  • Deficiência: Física, visual e intelectual 
  • Gênero: Todos 
  • Provas: Pista, campo e rua 

Quais são as provas do Atletismo 

Há provas de corrida, saltos, lançamentos e arremessos, tanto no feminino quanto no masculino. 

Pista 

  • Velocidades: 100m, 200m, 400, rev. 4x400m e rev. 4x100m 
  • Meio fundo: 800m, 1.500m 
  • Fundo: 5.000, 10.000m 
  • Salto em distância 
  • Salto em altura 
  • Salto Triplo 

Rua 

  • Maratona (42km) 
  • Meia-maratona (21km) 

Campo 

  • Lançamento de disco e club 
  • Lançamento de dardo 
  • Arremesso de peso 

Classes no Atletismo 

Os competidores são divididos em grupos de acordo com o grau de deficiência constatado pela classificação funcional. Os que disputam provas de pista (velocidade, meio fundo, fundo e saltos) e de rua (maratona), levam a letra T (de track) em sua classe. 

  • T | Track (pista) 
  • T11 a T13 | Deficiências visuais 
  • T20 |Deficiências intelectuais 
  • T31 a T38 | Paralisados cerebrais (31 a 34 para cadeirantes: 35 a 38 para andantes) 
  • T40 e T41 |Anões 
  • T42 a T44 |Deficiência nos membros inferiores 
  • T45 a T47 |Deficiência nos membros superiores 
  • T51 a T54 |Competem em cadeiras de rodas 
  • T61 a T64 |Amputados de membros inferiores com prótese 

Já os atletas que fazem provas de campo (arremessos, lançamentos) são identificados com a letra F(field) na classificação. 

  • F | Field 
  • F11 a F13 | Deficiências visuais 
  • F20 | Deficiências intelectuais 
  • F31 a F38 | paralisados cerebrais (31 a 34 para cadeirantes: 35 a 38 para andantes) 
  • F40 e F41 | Anões 
  • F42 a F46 | Amputados ou deficiência nos membros superiores ou inferiores (F42 a F44 para membros inferiores e F45 a F46 para membros superiores) 
  • F51 A F57 | competem em cadeiras de rodas (sequelas de poliomielite, lesões medulares, amputações) 
Como funiona para atletas cegos ou com baixa visão?

Para os atletas com deficiência visual, as regras de utilização de atletas-guia e de apoio variam de acordo com a classe funcional. Nas provas de 5000m, de 10.000m e na maratona, os atletas das classes T11 e T12 podem ser auxiliados por até dois atletas-guia durante o percurso (a troca é feita durante a disputa).

No caso de pódio, o atleta-guia que terminar a prova recebe medalha. O outro, não. Há, também, situações específicas em que um guia que não estava inscrito inicialmente em determinada prova tenha de correr. Neste cenário, ele não recebe medalha, caso suba ao pódio. 

Atleta-guia e apoio 

  • T11 | Corre ao lado do atleta-guia e usa o cordão de ligação. No salto em distância, é auxiliado por um apoio. 
  • T12 | Atleta-guia e apoio, no salto, são opcionais. 
  • T13 | Não pode usar atleta-guia e nem ser auxiliado por um apoio no salto. 

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro

Assine nossa Newsletter

plugins premium WordPress

Ilustração de dois cookies - biscoitosValorizamos sua privacidade!

Olá! Utilizamos cookies para melhorar a experiência ao navegar por nossos sites. Ao continuar utilizando nossos serviços online, entenderemos que você estará contente em nos ajudar a construir uma sociedade mais inclusiva e aceitará nossos cookies. Conheça a nossa Política de Privacidade. Continuar navegando >

Pular para o conteúdo